Concurso PR: Corregedor-Geral de Justiça formaliza expediente em que solicita a intervenção pessoal do Corregedor Nacional de Justiça, Min. Francisco Falcão, a fim de que se dê andamento ao certame.

O Corregedor Geral da Justiça do Estado do Paraná, Des. LAURO AUGUSTO FABRÍCIO DE MELO, protocolizou, no último dia 13 de junho, expediente junto ao CNJ em que se requer a intervenção do Corregedor Nacional de Justiça com vistas à concessão de "preferência" no julgamento dos procedimentos administrativos que impedem o andamento do concurso do Paraná.

LIMINAR. O concurso do Paraná foi suspenso, ainda no ano de 2012, por decisão liminar proferida pelo então Conselheiro Carlos Alberto Reis. O Conselheiro, durante o trâmite do procedimento, deixou o CNJ para assumir a Presidência do TST. O acervo de Carlos Reis foi assumido pela Conselheira MARIA CRISTINA IRIGOYEN PEDUZZI que, até o momento, não pautou os procedimentos à apreciação Colegiada do CNJ.

A suspensão do concurso do Paraná é uma das mais longas já vista no âmbito administrativo do CNJ já ultrapassando a marca dos 6 (seis) meses, prazo constitucional para a realização de novo concurso público.

Considerado um dos estados campeões em irregularidades na seara extrajudicial, o Estado do Paraná aguarda o desfecho dos vários PCAs para que possa dar seguimento ao seu concurso. O edital inaugural do certame deu abrigo a diversos questionamentos relativos à parcialidade da banca e a indevida exclusão de centenas de serventias irregularmente ocupadas por interinos designados.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um icone para log in:

Avise-me sobre novos comentários por e-mail.
Avise-me sobre novas publicações por e-mail.
 

Mapa do Site

Página Inicial

Fale Conosco

Área Restrita

2018 Todos os Direitos reservados. Andecc - Associação Nacional de Defesa dos Concursos para Cartórios