Produtos para a ceia de Natal variam até 58%

Os produtos para a ceia de Natal podem ter diferença de até 58% no preço de acordo com o local da cidade, segundo pesquisa de preços realizada pelo Procon-SP em dez comércios de cinco regiões de São Paulo (norte, sul, leste, oeste e central).

O levantamento, que aconteceu de 26 a 28 de novembro, pesquisou carnes, panettones/chocottones, caixas de bombons e frutas em calda.

A fundação informou que pesquisou 259 itens, mas divulgou 94 em função do desabastecimento de algumas lojas --são informados apenas os itens constantes em, pelo menos, três estabelecimentos.

A maior diferença de preço encontrada foi entre as frutas em calda: Ameixa em Calda lata 180 g Quero, com uma diferença de R$ 1,46, o que representa 58,63%. O maior preço encontrado foi no Dias Pastorinho, na zona sul (R$ 3,95) e o menor no Futurama, na região central (R$ 2,49). O preço médio foi de R$ 3,22.

Entre as carnes, a maior diferença constatada entre o maior e o menor preço foi o do Pernil Temperado Congelado (Kg) Sadia, de R$ 3,95, o que representa 56,83%. O maior preço (R$ 10,90) foi localizado no Carrefour (zona norte) e o menor (R$ 6,95) no Sonda (zona oeste). O preço médio é de R$ 9,40

Do total dos itens divulgados, o estabelecimento Andorinha Hipermercado (zona sul) foi o que apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço (29 itens de 71 encontrados).

O Procon informou que alguns comércios estavam desabastecidos. Além disso, a fundação também constatou que grande parte dos supermercados está trabalhando com marcas próprias, o que acaba inviabilizando a comparação de preço, já que a qualidade do produto pode variar. Tal fato foi verificado, principalmente, nas frutas secas, pois na maioria dos supermercados verificou-se a venda deste item a granel ou embalado com marcas próprias, por isso não foram incluídas na comparação de preços deste ano.

A fundação também informou que, após comparação de produtos comuns entre as pesquisas realizadas em 2007 e 2008, verificou, em média, alta nas carnes (11,11%), panettones/chocottones (3,42%), nas caixas de bombons (6,48%) e nas frutas em calda (1,83%). A inflação para esse mesmo período foi, de aproximadamente, 7,26% (INPC-IBGE).

"O consumidor deve efetuar uma cuidadosa pesquisa de preço, avaliando sempre a relação preço x qualidade, ficar atento às informações contidas nos rótulos, como peso, data de fabricação, prazo de validade e condições de conservação. No caso de produtos importados, as informações do rótulo devem estar traduzidas para a língua portuguesa", informou o Procon.

A entidade também alerta que deve ser sempre considerado o custo benefício do deslocamento no caso de estabelecimentos que estão apresentando produtos mais baratos que os da sua região.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um icone para log in:

Avise-me sobre novos comentários por e-mail.
Avise-me sobre novas publicações por e-mail.
 

Mapa do Site

Página Inicial

Fale Conosco

Área Restrita

2018 Todos os Direitos reservados. Andecc - Associação Nacional de Defesa dos Concursos para Cartórios